cúmplice

corto o fluxo do nosso pacto

em direção a olhos corrosivos

que observam com cuidado

o meu prazer

 

e as tentativas de impacto

delicado, agressivo

não posso eleger outro culpado

sou cúmplice toda vez que me deixo morrer

Advertisements

psicografia

i

porque não estaciono em único vício

oscilo entre sua diabólica sutileza

fascínio pelo caótico quase fictício

alguma lucidez e a morte por beleza

 

ii

você não precisa me alertar

do atrito no caminho

que meus calos já conhecem bem

você não precisa me lembrar

que sua busca por carinho

é por outra e mais ninguém

 

iii

eu não preciso ser acolhida

ouvir em que estante você me colocaria

se já tivesse te elegido para salvar minha vida

você saberia